[ editar artigo]

A Arte da Guerra das finanças pessoais

A Arte da Guerra das finanças pessoais

Um tratado militar escrito durante o século IV a.C. pelo estrategista conhecido como Sun Tzu, deu origem a um dos livros mais emblemáticos da história. O tratado é composto por treze capítulos, cada qual abordando um aspecto da estratégia de guerra, de modo a compor um panorama de todos os eventos e estratégias que devem ser abordados em um combate racional. Acredita-se que o livro tenha sido usado por diversos estrategistas militares através da história como Napoleão, Zhuge Liang, Cao Cao, Takeda Shingen, Vo Nguyen Giap e Mao Tse Tung.

Depois de diversas traduções e edições, em 1963, Samuel B. Griffith publicou uma edição comentada, em inglês. Mas o livro popularizou-se somente em 1981, quando James Clavell, romancista conhecido por best-sellers passados no Oriente, traduziu a obra e aplicou os conceitos no ambiente empresarial.

Os ensinamentos presentes na Arte da Guerra permitem mudar a nossa percepção de mundo e a refletir sobre os nossos objetivos pessoais. Além disso, podemos trazer alguns importantes aspectos para a estratégia nas finanças pessoais:

 

  1. “Qualquer um pode ser um soldado”

Um dos pontos iniciais da estratégia apresentada na Arte da Guerra é o de mostrar como transformar civis em soldados: com ordens claras, motivação e disciplina, qualquer um poderia lutar e ser tornar uma liderança.

Partindo desse ensinamento, podemos extrair a seguinte relação: você não precisa ser um economista ou grande entendedor de finanças para poder fazer um bom planejamento e ter qualidade de vida com seu dinheiro. Basta ter clareza em seus objetivos, motivação, uma estratégia bem definida e disciplina.

 

 2. “Conheces teu inimigo e conhece-te a ti mesmo; se tiveres cem combates a travar, cem vezes serás vitorioso”

Em uma guerra, o inimigo o é centro e objeto de toda atenção e foco. Nele serão destinados todos os esforços para destrui-lo. Mas em nossas vidas o elemento de atenção e foco são nossos sonhos, realizações, conquistas e desejos.

Precisamos conhecer com detalhes aquilo que almejamos. É necessário compreender tais objetivos, quais os recursos financeiros, prazo e melhora maneira de alcança-los.

Por outro lado também é fundamental conhecer suas fraquezas e os deslizes que você comete que pode te deixar mais longe de realizar seus principais objetivos. Identifique o que realmente te dá prazer para destinar o seu dinheiro. Tome cuidado com itens, serviços e bens que não vão te gerar a qualidade de vida. Cuidado para não viver de aparências, sustentar um padrão de vida não condizente com sua realidade e não ter um patrimônio para o futuro.

Maioria dos objetivos mais grandiosos demandará muito tempo, dedicação, recursos e disciplina, por isso é fundamental saber exatamente o que você busca e minimizar os seus erros.

Dedique seu tempo e dinheiro para realmente se conhecer, este, sim, é um investimento que vale a pena.

 

3. “Quando o ataque de um falcão fratura o corpo de sua presa é porque a atingiu na hora certa”

Você precisa estar atento e saber a hora certa de gastar ou investir. Você sempre terá duas opções para lidar com o dinheiro: Gastar agora ou guardar (investir) para usar em outro momento.

Existe um tempo e um momento ideal para determinadas decisões e aquisições. Para comprar a casa de seus sonhos ou fazer a viagem tão desejada, muitas vezes terá que esperar um pouco mais. Aguardar os preços diminuir, ou guardar mais dinheiro evitando dívidas ou financiamentos ou até mesmo um melhor momento de vida para tomar esta decisão e iniciar um novo plano.

Se você não tem dinheiro suficiente para comprar um bem ou realizar um sonho, uma opção pode ser a de obter um financiamento. Isso não necessariamente é ruim, mas deve ser realizado no momento certo, e com premissas corretas, senão pode te levar a falência ou a perder muitas outras oportunidades.

 

4. “Existem alguns exércitos que não devem ser enfrentados, e algumas posses que não devem ser contestadas”

Muitas vezes, você deseja a conquista apenas pela conquista. Busque saber quais são seus verdadeiros objetivos e mentalize a sua vida ao alcançá-los.

Será que você realmente deseja comprar aquela casa, ou só acha que já tem uma idade na qual deveria ter um imóvel ou que simplesmente não quer mais pagar aluguel?

Saiba reconhecer seus desejos com um viés crítico. Não haja por impulso. Às vezes, a melhor maneira de vencer é não lutar. Nem sempre é melhor comprar um apartamento, por exemplo, o importante é se sentir bem no seu lar. Talvez você não precisa ter um carro conversível ou uma casa na praia para se sentir melhor e mais realizado.

 

Comunidade de Planejadores Financeiros
Luiz Fernando Schvartzman
Luiz Fernando Schvartzman Seguir

CEO e fundador do Vista Fintech, plataforma para planejadores financeiros

Ler conteúdo completo
Indicados para você