[ editar artigo]

Integração Bancária e Finanças Pessoais: Um caminho sem volta

Integração Bancária e Finanças Pessoais: Um caminho sem volta

No mundo das finanças pessoais uma das primeiras tarefas traçadas pelo planejador financeiro é conhecer a fundo o fluxo de caixa da família.

E o que significa isso? Conhecer o fluxo de caixa nada mais é do que saber como funcionam as receitas e despesas de forma diária, mensal e anual. Ou seja: quanto eu ganho? Quanto gasto com viagens? Supermercado? Restaurante? Qual o valor do orçamento do meu filho? E do meu carro?

Perguntas como essas são mais difíceis do que parecem e a psicologia do dinheiro explica o motivo. Vivemos em constante modo “automático”. O modo automático é cômodo: não parar para pensar, analisar e tomar uma decisão é muito mais confortável do que seguir esse processo inteiro no dia a dia.

Se você está dirigindo do trabalho para sua casa, provavelmente, já fez esse caminho diversas vezes e já se tornou automático o processo de pegar o carro, dirigir e estacionar em casa. Assim como as compras de supermercado - é provável que você já saiba exatamente onde estão os produtos e, por comodidade, sempre compre as mesmas coisas. Parar para analisar e comparar o preço dos produtos é trabalhoso, e por isso, nosso cérebro aceita o conforto de tomar sempre as mesmas decisões.

É por isso que conhecer o fluxo de receitas e despesas não é tão simples assim. Para que esse processo seja feito de forma correta é preciso que saia do automático e siga alguns passos.

Até pouco tempo atrás, as formas mais comuns de conhecer o fluxo de receitas e despesas eram:

  1. Fazer uma planilha. Para isso, é necessário olhar todos os extratos dos bancos e cartões de crédito e seguir o padrão da planilha utilizada. Será necessário somar e agrupar todos os valores ou lançar individualmente.
  2. Fazer os lançamentos manuais. De acordo com a entrada de receitas e saídas das despesas, lançar de forma manual e constante cada um dos lançamentos. Ao final de 1 mês, 2 meses, etc, você terá a visão do seu orçamento. Para isso, pode utilizar algum aplicativo (APP) de controle de orçamento.

Mas afinal, qual o desafio dessas duas opções?

Na planilha de excel, você adota uma postura reativa, ou seja, você “já tomou” a decisão financeira quando está preenchendo a planilha. Se você colocar que gastou 3.000,00 com viagens, quer dizer que a decisão de gastar 3.000,00 já foi feita, não tem volta. A sua postura se torna reativa, sem um processo de tomada de decisão.

Já o lançamento manual através de um APP traz uma postura proativa. Ao fazer manualmente dia após dia, é possível analisar sempre que for realizar um gasto se está dentro ou fora do programado. Naquele momento é possível parar, pensar e aí sim tomar uma decisão fundamentada sobre aquele gasto. Entretanto, qual o desafio dos lançamentos manuais? A disciplina. Lançar tudo manualmente dá mais trabalho e requer a criação de um novo hábito - e sabemos que criar um hábito nem sempre é um trabalho fácil.

Há também pessoas que conseguem fazer os lançamentos manuais por algum tempo, mas chega um momento em que se torna cansativo e que há naturalmente uma interrupção nesse processo.

Agora, o que seria a integração bancária open finance? E como isso vai mudar o ramo das finanças pessoais?

A integração bancária é a possibilidade de utilizar seus dados bancários (movimentações da conta corrente, cartão de crédito, investimentos, dívidas, etc) em qualquer plataforma capacitada. Antes do open finance, esse processo exigia muita burocracia e era limitado a poucas funcionalidades, como por exemplo, compartilhar entre as instituições o tempo de abertura de conta de um cliente em um banco.

E por que a integração bancária vai facilitar a gestão do orçamento?

Simplesmente porque você não precisará mais lembrar de efetuar os lançamentos manualmente. Ou preencher a planilha de excel. A integração, junto com a plataforma certa, vai facilitar esse processo e você poderá acompanhar de forma dinâmica a atualização da sua vida financeira.

A integração não vai te ajudar a sair do automático, mas ajudará a economizar tempo e esforço no preenchimento manual das receitas e despesas. Com mais tempo e menos esforço será possível ter mais foco em sair do automático e olhar de um jeito diferente para as suas finanças.

Mas afinal, por que é um caminho sem volta?

A tecnologia veio para ficar. Qualquer empresa que apostou contra a tecnologia, acabou se dando mal. Por isso, esse avanço tecnológico é somente o primeiro passo, entre vários outros que estão por vir, da nova era nas finanças pessoais em conjunto com a tecnologia. Em breve, você poderá ver em um único lugar todo seu orçamento, investimentos e dívidas sem precisar preencher manualmente cada uma delas.

CONHEÇA A PLATAFORMA MEU VISTA: 

https://meuvista.com/plataforma-vista/

https://meuvista.com/plataforma-vista/

Comunidade de Planejadores Financeiros
Leonardo Gomes
Leonardo Gomes Seguir

Ler conteúdo completo
Indicados para você