Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

Podemos planejar 2021

Podemos planejar 2021
Luiz Fernando Schvartzman
mar. 30 - 7 min de leitura
0 Curtidas
0 Comentários
0

Todo final de ano a história se repete, repensamos no ano que passou, nas conquistas, decepções, surpresas, erros e acertos. Da mesma forma desejamos aos nossos queridos, um feliz ano novo com muita saúde, sucesso e paz, refletindo os objetivos e planos para o próximo ano.

No entanto a grande maioria destes planos não passam de ideias e sonhos. Raros são realizados ou ao menos planejados. Poucos projetos vão para o papel e a maioria são esquecidos em alguns dias após o réveillon! Muito provavelmente você nem se lembra dos planos que traçou para 2020.

No entanto, se planejar depois de um ano tão atípico, que se mostrou por si só bastante desafiador, difícil e incontrolável, parece algo improvável. Foram muitas dúvidas, diante de poucas certezas, o que tornou ainda mais complexo, mas, por outro lado, nos tornamos pessoas mais criativas e resilientes.

Aprendemos a lidar com a distância, insegurança, angústia e ser mais criativos. Tivemos que nos adequar a novas tecnologias e rotinas. Aprendemos a ter empatia e cuidar das pessoas mais frágeis.

Sem dúvida foi um ano difícil, mas diante das adversidades sempre há ensinamentos.

E agora, como será 2021? Como me planejar depois de viver um ano como este?

Quando poderemos viajar com tranquilidade novamente?

Quando veremos alguns parentes que não encontramos em 2020?

Será que é o momento de trocar de trabalho?

Será que ainda vamos continuar em home office?

Sem dúvidas 2020 deixará marcas por muitos anos, assim como em outros momentos históricos, principalmente aquelas pessoas que foram diretamente impactadas por tal contexto. Para todos que perderam parentes e pessoas próximas devido ao Covid, aqueles que mudaram de emprego, se aproximaram ou distanciaram de outros, casais que se formaram e se divorciaram. Foi um ano muito intenso.

Mas momentos como estes na história são poucos, mas não únicos e sem dúvida não será o último.

Até hoje me deparo com pessoas que tem receio de um novo “bloqueio da poupança”, como houve há quase 30 anos no governo Color. Ou pessoas e empresas que foram afetadas com crises políticas e até mesmo guerras.

Ainda sim, precisamos ter esperança e planejamento. Não há dúvidas de que o contexto afeta a nossa vida, mas precisamos aprender, se adaptar rápido e agir onde podemos fazer a diferença, que seja para nós mesmos, para as pessoas ao nosso redor ou até mesmo para o mundo, mas nunca fique parado.

Se o plano era uma viagem, uma mudança de emprego, fazer uma dieta, organizar as finanças e os planos foram alterados devido ao contexto, pense em como atingir os mesmos resultados de maneiras diferentes. Se a viagem teve que ser cancelada, aproveite para iniciar um novo hobby ou uma nova atividade de lazer.

Apesar da atipicidade do ano, é necessário erguer a cabeça, replanejar, pensar e seguir adiante. Obviamente algumas pessoas foram muito mais afetadas do que outras, seja pela perda de entes queridos ou pelo impacto econômico gerada pela pandemia. Mas é preciso seguir, com coragem e criatividade.

Nunca antes na história fomos capazes de nos adaptarmos tão rapidamente a uma adversidade tão grande. Em poucos meses milhões, ou até bilhões de pessoas em todo o mundo mudaram formas de trabalho, relacionamento, distanciamento e higiene pessoal.

Muitos sonhos deixaram de ser realizados e trazem frustração. No entanto alguns destes sonhos só não são concretizados porque são mal dimensionados e não foi dada a devida dedicação. Todo ano surge a mesma promessa: “desta vez vai ser diferente, vou levar a sério”, “vou fazer um regime”, “voltar para a aula de inglês”, “investir mais na carreira”. Mas se não mudarmos a forma de agir, o resultado será o mesmo de sempre. Como percebemos, o contexto interfere, mas a nossa vontade deve ser maior.

Neste ano de 2020, ficou muito claro a necessidade de cuidar de 3 aspectos fundamentais:

Saúde física e mensal:

Para quem estava acostumado a realizar exercícios físicos, o isolamento social foi um grande desafio. Até mesmo quem gostava apenas de fazer uma caminhada no fim de semana está sentindo falta da rotina. Uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), aponta que quatro em cada 10 brasileiros tiveram aumento de peso na pandemia, principalmente devido as mudanças da rotina com a redução dos exercícios físicos e aumento do consumo de fast-food.

As vantagens dos exercícios são nítidas para o corpo e para a mente. Tudo funciona de forma integrada e, nesse período de pandemia, em que os casos de ansiedade e depressão têm aumentado, isso é ainda mais importante. Além de ser um fator de distração, a atividade física também libera endorfina, dopamina e serotonina – hormônios ligados ao sentimento de felicidade.

Relacionamentos interpessoal:

Quem não sentiu falta de pessoas queridas por perto, um abraço ou um jantar na casa de amigos? A tecnologia ajudou muito para reduzir o distanciamento social, a angústia e nos permitiu novas possibilidades. No entanto, por outro lado, a pandemia evidenciou a importância de pessoas queridas por perto, o real valor de um abraço e dar valor a pequenos atos da vida.

Sentimos falta de andar na rua, ver pessoas, caminhar livremente em um parque e conhecer pessoas. Eram coisas que pareciam simples e muitas das quais o dinheiro não compra.

Finanças pessoais:

As finanças pessoais não precisa ser o foco, mas nunca negligenciada e esquecida. O bom planejamento financeiro é peça chave para realizar todos os outros objetivos, cumpre um papel coadjuvante para qualquer história de vida, mas se mal organizada, pode se tornar o grande vilão.

Dinheiro não deve ser o objetivo, no entanto é o caminho para qualquer realização, seja uma dieta para emagrecer que demandará produtos naturais, alimentos saudáveis, eventuais visitas ao nutricionista, uma academia e consequentemente aumento nos gastos. Pode ser a mudança de emprego, que poderá ser necessário se dedicar a uma pós graduação ou até ficar um tempo sem emprego e renda. Ou até mesmo se resguardar de momentos de incertezas como vivemos em 2020.

Que venha 2021!

Enfim, qualquer que seja o seu plano, sua prioridade e objetivos para 2021, não deixe de planejar a maneira de alcançá-los, incluindo os recursos que serão necessários dentro do seu contexto de finanças pessoais, quando deverá ser realizado, quais são os passos, do que você irá precisar para realizar seu projeto e mãos à obra!

Não negligencie a sua vida, ela é muito curta para ser desperdiçada. Em cada novo desafio, a cada ano que se passa, novos planos e projetos serão conquistados e realizados, mas não deixe isso na mão do acaso, seja o condutor desta mudança e não o coadjuvante da sua própria história de vida.


Denunciar publicação
0 Curtidas
0 Comentários
0
0 respostas

Indicados para você